terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Respigámos...com a devida vénia!

Azeite de Cabanelas no top 20 mundial
2009-12-25
Por FERNANDO PIRES

"O Guia mais prestigiado distinguiu aindaassociação pela promoção da cultura do sector olivícola.

As histórias de sucesso do azeite português sucedem-se. Agora foi uma produtora transmontana, de 80 anos, que viu o mais prestigiado guia internacional de azeites classificar o "João das Barbas" como um dos melhores 20 do mundo.

"Não estava á espera desta distinção, logo no primeiro ano que decidi enveredar pelo embalamento" confessa Maria Constança Andrade, que produz o Azeite Denominação de Origem Protegida (DOP) - João das Barbas - classificado entre os 20 melhores do ano pelo FLOS OLEI 2010, o mais prestigiado Guia de Azeites Virgem Extra de todo mundo, em que estão representados seis centenas de azeites e 40 países.

"Foi um presente magnífico porque estou a comemorar os meus 80 anos e também acaba por ser uma homenagem ao meu pai", explica porque o rótulo (João das Barbas) era a alcunha que o seu pai teve nos tempos da Universidade, em Coimbra.

Maria Andrade tem mais de 3000 oliveiras, em Cabanelas (Mirandela), que, em 2008, deram mais de 40 toneladas de azeitona, e só agora decidiu fazer o embalamento de um azeite de qualidade DOP, porque não tinha quantidade para tal. "A partir de agora tenho uma responsabilidade muito grande porque não posso deixar baixar a qualidade", ressalva aquela produtora. Maria Andrade considera que o sector só consegue ter viabilidade, "se apostarmos na qualidade do azeite". O problema é que, de uma forma geral, "os nossos olivicultores apanham a azeitona mais tarde porque rende mais e pagam melhor, mas a qualidade só acontece se a apanha for efectuada antes da chegada das geadas, caso contrário o azeite acaba por não ter aroma", afirma. Para além disso, diz ser necessário educar as pessoas a gostarem de azeite DOP.

A Associação de Olivicultores de Trás-os-Montes e Alto Douro (AOTAD), que representa cerca de 10 mil olivicultores transmontanos, foi distinguida, com o prémio internacional Cristina Tiliacos, atribuído a pessoa ou associação que se tenha dedicado com empenho à difusão e promoção da cultura do sector olivícola.

A atribuição deste prémio internacional, vem "reconhecer o esforço" que a AOTAD tem realizado para que o Azeite de Trás-os-Montes DOP (Denominação de Origem Protegida) "seja conhecido nos meios internacionais do sector olivícola como um azeite de qualidade diferenciadora", afirma António Branco, presidente da AOTAD."
Fonte:JN

Sem comentários:

Enviar um comentário