quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Rota das Amendoeiras vai ser mudada...

"A suspensão da circulação de comboios na Linha do Douro, entre Tua e Pocinho, obrigou a CP a alterar a sua Rota das Amendoeiras. A via afectada por queda de pedras já foi reparada mas só reabre no final de Março.

A partir de meados de Fevereiro e até finais de Março, vários concelhos de Douro Superior festejam a flor das amendoeiras, promovem feiras e programas de animação, atraindo milhares de visitantes, sobretudo, do litoral. Atenta a estes fluxos, a CP criou a Rota das Amendoeiras, há alguns anos, e disponibilizou vários comboios para ligar o Porto ao Pocinho, em Vila Nova de Foz Côa, durante os fins-de-semana das festas.
O programa vai manter-se este ano mas vai ter alterações, pois as obras que decorrem na zona onde os pedregulhos destruíram a ferrovia, quilómetro 142,5, não vão terminar antes do final dos festejos.
Comboios especiais
Fonte oficial da CP adiantou ontem, ao JN, que a empresa vai realizar o programa da Rota das Amendoeiras "entre os dias 27 Fevereiro e 27 Março".
Revelou que "está prevista a realização de cinco comboios especiais no percurso Porto - Tua, e volta", e acrescentou ainda que, devido às restrições à circulação na Linha do Douro, "teve de ser suspensa a Rota B". Este percurso incluía os concelhos de Vila Nova de Foz Côa, Meda, Penedono e Trancoso.
As outras duas Rotas seguidas habitualmente pela empresa mantêm-se, mas começam na estação de Foz-Tua e, como tal, tornam obrigatória a passagem pelo concelho de Carrazeda de Ansiães. A Rota A inclui ainda os municípios de Torre de Moncorvo, Freixo de Espada à Cinta, Figueira de Castelo Rodrigo e Vila Nova de Foz Côa. A Rota C passa, para além de Moncorvo, por Alfandega da Fé e Mogadouro.
"É um pequeno acréscimo no percurso rodoviário que habitualmente se efectua e é a novidade de 2010", notou a fonte da CP.
Entretanto, a Refer definiu ontem o final de Março como a altura previsível para reabrir o troço Tua-Pocinho à circulação de comboios.
Via desobstruída
Neste momento, "a via já se encontra completamente desobstruída dos blocos de granito e os carris já foram recolocados", disse, ao JN, fonte oficial da Refer.
A mesma fonte acrescentou, no entanto, que a estabilização geotécnica de toda a área adjacente vai obrigar a que naquela zona, a cerca de três quilómetros da estação do Tua, "sejam impostas limitações à velocidade máxima das composições".
É que, apesar de estarem garantidas as condições de segurança para que os comboios voltem a passar naquele troço de 30 metros de ferrovia, o acentuado declive da área vai obrigar a Refer a passar a pente fino todas as rochas que possam vir a demonstrar alguma instabilidade.
A empresa prevê que as restrições possam ser "eliminadas no final de Setembro, com a conclusão da empreitada".
Até à reabertura da via continua a ser realizado serviço rodoviário de substituição, com autocarros ao serviço da CP.
As autarquias de Foz Côa, Carrazeda de Ansiães e de S. João da Pesqueira, manifestaram acordo quanto aos percursos definidos, bem como aos locais de paragem dos autocarros e respectivos horários."
Fonte: JN

Sem comentários:

Enviar um comentário